Os escravos do perfeccionismo.

Temos uma doença social, perfeição. Enquanto acreditarmos que tudo deve ser polido ao máximo até que possamos utilizar, vamos impedir nossas iniciativas de receberem o que mais precisam, críticas para evoluir.

Em um debate sobre educação, surgiu a ideia de fragmentar o volume de informações oferecidas na escola de acordo com a necessidade local. O argumento apareceu na hora “assim você está impedindo pessoas de escolherem seu caminho”. Concordo.

Mas essa discussão abre caminho para outro assunto: se não assim, como?

Como podemos solucionar algo sem começar a agir? Caso seja escolhida essa solução ou qualquer outra que parece capenga, incompleta ou mesmo que não faz justiça a todos, pelo menos algo é feito. E com uma visão clara de aonde se quer chegar, começar a andar é a melhor opção para chegar lá.

Não concorda? Pois eu também discordei por muito tempo, até que lembrei uma frase da minha tia-mãe Valeria ao me ver cantar com a minha banda anos depois de me ouvir na casa dela com um violão.

“Você cantava muito mal, mas hoje tá bem melhor. Adorei o show”

Na busca pelo excelente esquecemos que ele só é alcançado através do péssimo, passando pelo ruim, chegando ao regular, bom, ótimo é assim então, excelente naquele aspecto. Não há modo de perceber o sucesso sem conhecer e enfrentar o fracasso.

Às vezes uma solução não é realmente uma solução, mas um caminho. É muito importante aceitar a intenção é trabalhar pela visão. Isso funciona para produtos digitais sim, é o modo Lean tão falado.

Mas é também uma filosofia de vida, ação acima do planejamento, exposição antes da certeza de vitória, coragem, coragem, coragem.

O que fazer então?

Lembra aquela ideia que você tem dentro de você e que nunca colocou pra fora por insegurança do insucesso, essa é a sua hora. Uma ideia que sai perfeita não é inovadora, ela precisa de trabalho e sofrimento, precisa ser negada, abandonada e reavivada, até humilhada pra passar a representar algo valioso o bastante.

Portanto repito, coragem! Dê seu passo com a certeza que seu caminho vai inspirar. Senão pela ideia, mas pelo esforço e determinação. Esse é o verdadeiro ganho do líder, reconhecimento.

Conto com você, conte comigo.

Mario Campelloeducação